domingo, 15 de março de 2009

Selos e papéis de carta.

Recebi um selo da Glória e da Biba, dos respectivos blogs “Linhas ao Vento” e “Carpe Diem”. E muito embora não seja afeito a selos, visto que eles me lembram de um soco que tomei de uma colega na segunda série pelo simples fato de ter levantado sua saia, já que esse soco fez seus papéis de carta caírem pelo chão da escola, decidi postá-lo aqui para não passar por egotista ou coisa do gênero, apesar dos astros (ah! esses malditos astros!) dizerem que todos os leoninos são egotistas e na melhor (ou pior) das hipóteses, são egoístas pra caramba.

Portanto, eis o tal selo, o qual, logo de cara (ou louco de cara, como diz o Vitor Ramil) me pede pra dizer sete coisas que me fazem sorrir. Abaixo, pois, está minha modesta compilação surgida ao acaso de algumas sensações relacionadas dentro daquilo que creio ser a vida.

1) O fato de ter um corpo;
2) O fato de estar vivo nesse corpo;

3) O fato de saber ler e escrever por conta desse corpo;
4) O fato de conhecer outros corpos através desse corpo;
5) O fato de existir outros corpos além do meu corpo;
6) O fato de que alguns desses outros fazem arte;
7) O fato de ser um corpo que lê, escreve, faz arte e tem como combustível o indizível do amor e do prazer a partir do fato de ter um corpo que entra em contato com outros corpos.

Depois de ter de elencar sete coisas que me fazem sorrir, o selo ainda exige, como que sobrenatural, sete blogs que me façam sorrir. Para ser franco, já que não acredito na sinceridade, visto que ela geralmente está relacionada com a sentimentalidade, o que é coisa de música sertaneja e não tem nada a ver com sensibilidade, não sei se esses blogs me fazem sorrir. Mas partindo do pressuposto de que existem outros corpos que fazem arte e me trazem prazer e amor a partir dessa arte feita, talvez o sorriso seja inevitável, já que até o bebês, embasbacados pelo mundo sem nome que sentem ao seu redor, sorriem doidinhos da vida para pedir comida (e quem sabe palavras) para a mãe atarantada. Abaixo, os ditos blogs referendados.

1) Linhas ao Vento;
2) Carpe Diem;
3) Temporário-permanente;
4) O Ser em Movimento;
5) Chistes e Poesia;
6) Pensar;
7) Sem mais delongas;
8) Trinta livros, um ano.

Portanto, resta aqui minha humilde constatação que parte do cabalístico número sete, o qual, por óbvio, mesmo que tenha embutido um oito no meio, o que espero que não me traga azar, deve ter sido injusto com tanta gente que sem querer me põe sorriso no rosto – e prazer na cara, a qual, pensem bem, não tem nada a ver com o rosto (porque cara é cara e rosto é rosto e ponto final).

Sem mais mas com muito, um quebra-costela aos homens, um beijo às mulheres e que sigamos chimarreando, pois sejamos do norte ou do sul, dentro de nós, meu caro Guimarães Rosa, o sertão é eterno (ainda que seja pampa).
E tenho dito.

4 comentários:

glória disse...

viu! nem doeu! e deixou sorrindo essas mulheres que se encantam com os teus escritos e mimos. bjim (obg por me dizer que te faço sorrir).

pensar disse...

Brigado, eu tbem incluiria o teu. Qdo leio tuas palavras nascem outras e outras em mim, o que eu diria um encontro ainda que na distancia do virtual.bjs

Joice Nunes disse...

obrigada pela indicação. indiquei o teu de novo. rs
(ah! vitor ramil é muito, muito bom. outro dia ele esteve aqui pela fortaleza e quase que eu morro do coração. fui pros dois shows que ele fez aqui)
beijos

tagg disse...

hey, obrigada!!! me fez sorrir, claro, mulherzinha vaidosa que sou. ando vivendo muito e escrevendo pouco. daqui a pouco, portanto, sai a literatura do que vivi 'dentro' e fora e outro blog, espero.
e, olha que legal, AMO o Calvin!!!! adorei o selo!!!